domingo, 14 de dezembro de 2008

Ontem, no espaço Memória dos Exílios, Estoril, fiz a apresentação da obra de poesia, coadjuvado pelo Professor Doutor Pena (Universidade Lusófona).
Acolhedor e afectuoso foi enternecedor e belo, muito belo, o ambiente tingido por leituras de poemas, em que as vozes se cambiaram em pontes e cingiram as Margens: li os poemas "Café no Chiado" e o poema em francês "Un Jour" deixando que me deambulasse a voz por rostos acesos de gentileza e de ávida partilha.
Lucyana estreou a polifonia das vozes lendo, do poeta Rubem Alves, os versos: "Plantei árvores, tive filhos, escrevi livros. /Tenho muitos amigos e, sobretudo gosto de brincar./Que mais posso desejar? Se eu pudesse viver a minha vida novamente, / eu a viveria como vivi porque estou feliz onde estou." "E gosto de andar de bicicleta", acrescentou a autora da obra.
E que feliz está a Poeta Maria Saturnino Entre Margens, pois como leu a autora, do incipt do livro "Entre margens me criei /e entre margens cresci!". A Rubem Alves, gostando de brincar, acrescentou a autora: gosto de andar de bicicleta. Leu entretanto a autora, como evocação de um espaço a que está cosida com os alinhavos do afecto. o poema "Balsa", cujo mote "Os deuses não te escutaram/os deuses já te esqueceram"cruzou a minha voz à da autora. Leu depois maria saturnino o belíssimo poema, tão rente a Moçambique e às águas do Rio Limpopo, "Cajueiro". O Prof. Pena leu, com os signos do Sul, os pássaros de Tavira, os cheiros das maresias e dos ventos, o poema "Quatro águas". O Doutorando (e editor da revista luso-portuguesa Leitor, para a qual me solicitou a publicação do meu texto de apresentação de Entre Margens) Ricardo Miguéis leuo poema "Quando" e, em castelhano, josé Domingues leu o poema "Sueño Loco" a que se segui uma generosa e enternecedora surpresa uando a arista Laura Cesana leu um poema do livro "Maga Verde" que a própria Pintora traduziu para italiano.
"Arja Molho!" foi a leitura com que no epílogo de tão belo lançamento, Maria Saturnino a todos nos brindo sentando-nos a todos à mesa das suas palavras e deixando-nos saborear os miscigenados sabores e odores deste belo livro Entre Margens.
Um lançamento que, de tão terno, acolhedor e fraternal, jamais esquecerei e que tanto me orgulha e privilegia por nele ter participado. Bem Haja querida amiga Sani, cara escritora Maria Saturnino.
Luís Filipe Pereira

4 comentários:

Ricardo Migueis disse...

Olá Filipe,
Gostei do blogue e gostava mesmo muito de publicar na Revista Autor o teu fantástico texto, como começo de colaboração! Parabéns pela excelente apresentação e moderação deste importante evento, que foi o lançamento do livro da poeta "Entre Margens". um abraço, Ricardo (rmigueis@revistaautor.com)

Ricardo Migueis disse...

Caro Luís Filipe,
Muito obrigado pela excelente apresentação do importante evento que foi a apresentação da obra "Entre Margens". Parabéns! Um abraço

Mel de Carvalho disse...

À poeta, Maria Saturnino, votos sinceros de que, nos trilhos das palavras nos possamos reunir, se reunidas somos já em torno de um comum amigo, para além de exímio poeta: o LFilipe.

A ambos um fraterno abraço
Mel

Anónimo disse...

Caro Amigo,

Mais uma vez o Luis Filipe, "roubou" o protagonismo da "estrela".
Mais uma vez, todos me pedem para ler o seu texto.
Vaidosamento o faço, porque vaidosamente quero acreditar que tudo o que disse( árduo labor o seu que teve de ler e reler tudo mas mesmo TUDO, porque tudo comentou, TUDO mencionou) é verdade.
Agora, vou-lhe pedir para me ajudar a lançarmos os contos.
Para o ano, por esta altura, gostaria de lançar o livro com os 12 contos que, creio, já lhos dei a ler.
Só o LUIS FILIPE, o melhor entre os melhores, eu quero para a introdução.
Que pena não terem vindo mais amigos seus para o escutarem.
Foi simplesmente BRILHANTE.
Com a postura humilde dos grandes, foi brilhante.
Fui convidada pelo Prof. Fernando Campos da LUsófona para fazer uma apresentação na Lusófona, ficará para o ano, lá para Fevereiro. Nessa altura, gostaria de o associar a mim e, tb, lermos poemas seus e falarmos do seu livro.
Com aquela confusão toda não lhe dei o seu livro para me autografar. Diga-me onde está à venda pois quero comprar mais para oferecer à biblioteca da Escola de Secundária de Tavira e à Biblioteca Municipal de Tavira.
Um beijo muito agradecido e afectuoso da sua
AMIGA,
Sani